Aventuras na Chucruteslândia

a terra da batata, da cerveja e das mulheres de peito grande e zero de bunda

  • Sobre o Blog

    Este foi um espaço usado por cerca de 1 ano, o que durou a fantástica experiência de largar tudo, trabalho, família e casa, e ir para a Alemanha, em Freiburg, para passar 1 ano estudando e pensando na vida.

    Funcionou, já que voltei e mudei minha vida de uma forma que não imaginava, e de que não me arrependo nem um pouco.

    Ficam agora as memórias das viagens, dos micos e dos novos amigos conquistados. Conheci gente de todo canto, principalmente no curso. Deixe-me tentar listar: alemães, russos, chineses, algerianos, turcos, sul-coreanos, italianos, croatas, iugoslavos, ucranianos, tailandeses, indianos, nepaleses, romenos, franceses, espanhois, portugueses, holandeses, islandeses, etc. (devo ter esquecido de algum, mas sa para ter uma idéia!!)

  • Utilidade

    Espero que tenha alguma utilidade para você, visitante, que deve ter encontrado em alguma pesquisa ou link perdido internet afora.

    Bom proveito.

    Qualquer coisa, deixe um comentário que responderei com prazer.

Papel higiênico usado: No lixo ou na privada?

Posted by mLopes on Tuesday, 22 April 2008

Por aqui na Alemanha, assim como na maioria dos países da Europa, joga-se o papel higiênico usado na privada, ao inv?es de em um cestinho de lixo. Qual seria o mais correto?

Pergunta que não quer calar. O fato é que, depois de educado por 20 anos para jogar o papel higiênico num cestinho nem tanto higiênico, não é em um dia que se acostuma com o novo hábito. Além de ficar procurando o tal do cesto, ainda leva-se um tempo para passar aquela sensação de que se está fazendo algo errado.

Talvez fruto das dezenas de vezes que tomei esporro da mamãe por jogar papel no vaso, levei uns 2 meses para fazer isso com naturalidade. E agora já começo a achar muito sem noção essa história de acumular os papés de todas as pessoas pensadornum potinho para ser descartado no lixo "comum" depois.

Fui pesquisar a respeito. Descobri primeiro que se tem notícia de papel com essa finalidade desde o século XIV, na China, e que o modelo mais ou menos como existe hoje foi criado em idos anos 1800 e bolinha, nos EUA.

Já sobre jogar ou não na privada, há milhões e milhões de discussões Internet afora, sem grandes conclusões. Cada lado defende sua moeda. Eu acredito que seja mesmo a forma mais adequada jogar no vaso sanitário. E explico os motivos.

Primeiro: higiene. Tem coisa mais anti-higiênica que guardar um monte de papéis misturados com restos orgânicos de várias pessoas, que depois é retirado e NÃO É jogado em um lixo especial, e sim no lixo comum, para onde vão todos os outros tipos de lixo, ou pelo menos, de papéis?

Segundo: lógica. Se utilizamos um grande "recipiente de porcelana" para colocar nossos dejetos e criamos um sistema de limpeza com água, que leva esses "restos mortais" para bem longe, por que resolver ficar com uma parte dos restos orgânicos, misturados com papel, em um bonitinho cestinho, todo de inox? Não é melhor deixar a prova do crime ir embora com junto com o corpo?

Terceiro: papéis e decomposição. Reparem nos papéis higiênicos. Eles são bem delicados e se degradam (tá bom, isso não vale para os papéis-rosa de banheiro públicos), assim como a parte orgânica despejada por você!!  Tudo bem que existem papéis biodegradáveis, que são ainda mais rápidos para se decompor, mas o papel higiênico tradicional também tem uma taxa boa de degradação. E Para quem diz que o problema é que o esgoto no Brasil não é tratado e vai para natureza, eu pergunto: E por acaso o papel que vai para o lixo, sujo como você o deixa, é mais tratado que o esgoto? Infelizmente, vai parar num lugar parecido.

Dados esses pontos todos, voto no papel ir embora pelo "Expresso Porcelana". Mas, claro, não posso deixar de citar os argumentos contrários, e que também têm seu mérito, apesar de eu achar muito questionáveis, todos eles. Vejam os contra-argumentos.

– Encanamento: O encanamento no Brasil não teria sido feito pensando nisso, portanto não estaria preparado para receber o papel higiênico, principalmente na parte interna das casas. Se algum especialista quiser comentar, agradeço, mas meu contra-argumento é (desculpe pelo modo direto): Por que eu deveria achar que aquele fino papel é mais perigoso para entupimentos que os nem tanto delicados restos orgânicos despejados tubulação adentro?

– Água: Gasta-se mais água para dar descarga com papel. Concordo plenamente e tenho ultimamente aprendido a gastar menos. Esse ponto realmente conta a favor do lixinho. Mas também tem um ponto importante: para cuidar e tratar do papel que vai para o lixo, é preciso também de água. Ou gastar um pouco menos de água na privada mas deixar o papel da natureza seria uma atitude tão mais nobre assim?

Não tem jeito, tudo nos leva para o papel na privada!! Ah, e preferi não entrar no mérito do papel x ducha. Essa quem sabe fica para uma próxima discussão…

Palavra do dia: Toilettenpapier = Papel higiênico. Não é fácil demais essa língua??

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: