Aventuras na Chucruteslândia

a terra da batata, da cerveja e das mulheres de peito grande e zero de bunda

  • Sobre o Blog

    Este foi um espaço usado por cerca de 1 ano, o que durou a fantástica experiência de largar tudo, trabalho, família e casa, e ir para a Alemanha, em Freiburg, para passar 1 ano estudando e pensando na vida.

    Funcionou, já que voltei e mudei minha vida de uma forma que não imaginava, e de que não me arrependo nem um pouco.

    Ficam agora as memórias das viagens, dos micos e dos novos amigos conquistados. Conheci gente de todo canto, principalmente no curso. Deixe-me tentar listar: alemães, russos, chineses, algerianos, turcos, sul-coreanos, italianos, croatas, iugoslavos, ucranianos, tailandeses, indianos, nepaleses, romenos, franceses, espanhois, portugueses, holandeses, islandeses, etc. (devo ter esquecido de algum, mas sa para ter uma idéia!!)

  • Utilidade

    Espero que tenha alguma utilidade para você, visitante, que deve ter encontrado em alguma pesquisa ou link perdido internet afora.

    Bom proveito.

    Qualquer coisa, deixe um comentário que responderei com prazer.

Você sabia? Melitta começou com dona-de-casa alemã!

Posted by mLopes on Wednesday, 2 April 2008

A multinacional Melitta começou num quartinho do Leste alemão, no início do século 20. Hoje tem fábricas em 14 países e sua linha de produtos vai muito além de coadores de papel para café.

melitta-marga

Foram precisos 300 anos de degustação do café na Europa para que uma dona de casa de Dresden chegasse a uma idéia tão simples quanto genial, e que revolucionaria a preparação da aromática bebida em todo o mundo.

Era o ano de 1908 e Melitta Benz fazia café. Como ditava a prática da época, o pó era escaldado e precisava descansar, até poder ser servido. A borra, que mesmo assim ficava no fundo da xícara, incomodava tanto a Sra. Benz, que a inspirou a uma invenção.

Com martelo e prego, ela fez furos numa panela cilíndrica de latão, forrou o fundo com um círculo de papel mata-borrão, tirado do caderno de seu filho mais velho. Pó de café, água fervente por cima, e estava criado o primeiro filtro Melitta.

A partir daqui há duas versões da história: numa, a diligente senhora patenteia a invenção e funda sua firma num pequeno quarto. Na outra, o Sr. Benz – que aliás haveria dado a faísca primeira à invenção, reclamando do café da esposa – é quem assume o aperfeiçoamento do produto e a criação da empresa. Seja como for, hoje a Melitta é administrada por três netos da criativa dona de casa.

Um coador muda o mundo

melitta.pngA invenção evoluiu e conquistou o mundo: em 1925 adotou-se a típica embalagem vermelha e verde, que em 1929 já era exportada. Em 1932 se utilizam folhas de papel quadradas, em conjunção com o suporte cônico. Cinco anos mais tarde o corpo dos filtros toma a forma de "V", com os coadores correspondentes. Assim, o aroma podia expandir-se, sem a liberação excessiva de substâncias amargas. E – argumento importantíssimo na época – assim se economizava o precioso pó negro.

No Brasil

Os miraculosos saquinhos de papel chegaram ao país em 1968. Em 2003, ao completar 25 anos, a Melitta do Brasil dominava 53% do mercado nacional de filtros de café. Com boas possibilidades de expansão, já que 40% da população brasileira ainda utiliza os menos higiênicos coadores de pano.

E pensar que tudo começou com alguem incomodado com a borra do café!

créditos: Deutsch Welle

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

 
%d bloggers like this: